Teoria do Todo – Parte 2 Texto

DESPERTAR

 

Diz-se que a escolaridade e o intelecto humanos progrediram muito atualmente, mas esse progresso foi material, enquanto o progresso metafísico foi procrastinado. Na verdade, o desenvolvimento cultural acontece quando há real avanço metafísico e material. O dito avanço cultural não é acompanhado da felicidade da humanidade e a razão principal é que efetuou-se o progresso em apenas uma das áreas acima mencionadas. Parafraseando, é porque a cultura material muito se desenvolveu, mas a cultura e estudo espiritual ficou para trás.

 

Diante disso pretendo um grande despertar para a humanidade, com um salto na cultura espiritual. Embora, por sua própria natureza, o entendimento dos fenômenos espirituais envolva grande dificuldade, já que não podem ser percebidos pelos cinco sentidos do homem. Mesmo assim, como não vou evidenciar o não-existente, e sim nada mais que mostrar o existente, estou convencido de que é impossível não atingir esse propósito. Estudando, analisando e crendo nos fenômenos espirituais, podemos espontaneamente entender como obter grande felicidade, tranquilidade, paz, saúde e compreensão muito maior sobre tudo o que nos cerca. Deste modo, qualquer que seja a fé em questão, a menos que se conheça profundamente os fenômenos espirituais, a real paz de espirito não será obtida. Imagine esforço, trabalho, ideias, realizações de pessoas, tudo ficaria no vazio se não houvesse um sentido maior, de continuidade e prêmio pelo esforço empreendido.

 

Reflitamos sobre o fato de que o homem certamente morrerá em algum momento, e apesar disso quase nada conhece sobre o que acontece após a morte. Mesmo considerando uma grande longevidade, essa atingirá por volta de setenta ou oitenta anos, se isso fosse tudo, a vida seria completamente efêmera. Se isso acontece é porque a pessoa desconhece totalmente que após a morte existe a vida no Mundo Espiritual. Suponhamos, entretanto, que o homem possa adquirir profundo conhecimento deste tema; viveria uma vida feliz e morreria feliz, o que significa que poderia ser eternamente abençoado. Este trabalho foi escrito pelos motivos acima descritos.

Deixe um comentário