Aula 7

A Ciência das Partículas e a Ciência Divino-Espiritual

O MÉRITO DO DR. YUKAWA VISTO ESPIRITUALMENTE

Primeiramente, descreverei o estado real do espaço que circunda o globo terrestre. Dois elementos básicos, reiki (fogo) e ar 6 (água), unificados num corpo fluido, circundam a massa da Terra, que é um corpo sólido. Esses três elementos básicos, unificados, situam-se no centro do cosmos. Tal é o estado do mundo em que vivemos. A ciência, não admitindo a existência do espírito, progrediu tomando como objeto de estudo apenas dois dos elementos básicos: ar e terra. Pode-se dizer, portanto, que é uma ciência de dois terços e não a ciência total. Devido a essa deficiência fundamental, a ciência está fora da verdade da trindade. Por isso, a despeito de todo o seu progresso e desenvolvimento, sempre surgem contradições entre as teorias científicas e os fatos reais. Enquanto essa lacuna não for descoberta e corrigida, não poderá nascer o verdadeiro mundo civilizado.

Recentemente, o Dr. Yukawa recebeu o Prêmio Nobel de Ciência Teórica. Relacionado ao seu mérito como o primeiro e único japonês a receber esse prêmio, sinto que podemos nos orgulhar perante o  mundo inteiro. Realmente, não consigo conter a minha felicidade diante deste fato, uma vez que os japoneses puderam recuperar, por pouco que seja, o crédito perdido durante a Segunda Guerra Mundial.

Dizem que o Dr. Yukawa recebeu o referido prêmio graças ao fruto obtido pela sua descoberta, aos apenas 28 anos de idade, sobre a Teoria Básica da Ciência Atômica; portanto, acho a sua inteligência surpreendente.

O princípio acima refere-se à descoberta do méson que, com a fusão com o elétron, gera a força. Posteriormente, os físicos americanos Anderson e Neddermeyer descobriram por acaso, nas fotografias tiradas durante a observação dos raios cósmicos, os rastros das partículas identificadas como Partícula Yukawa. Assim, a Teoria Yukawa foi comprovada por meio de experiências. Vou explanar, a seguir, a minha opinião a seu respeito.

Originariamente, o méson é um elemento que resultou da fusão dos elementos fogo e água, ou seja, obviamente ele é uma micropartícula formada pelas energias do Sol e da Lua.

Atualmente, são reconhecidos cinco tipos de mésons: μ-méson, positivo e negativo; p-méson, positivo e negativo e o méson neutro. Nesses cinco tipos, o μ-méson e o p-méson, positivos e negativos, possuem as duas energias que são a do Sol e a da Luz; p-méson, que possui energias do Sol e da Lua; o méson neutro possui as partículas fundidas de Sol e Lua e os dois mésons restantes possuem as energias da terra e das estrelas, e essa força, evidentemente, se posiciona no nêutron.

Preciso dizer sobre a importância desta descoberta, principalmente no que se relaciona à minha teoria. A partícula Yukawa é o elemento intermediário entre a matéria e o espírito e já estamos na iminência de descobrir, graças ao avanço ainda maior da Ciência, a partícula espiritual extremamente minúscula.

Talvez ainda seja um pouco cedo para apresentar a minha teoria sobre a partícula espiritual, mas posso afirmar que esta divide-se em três níveis: a que ocupa o terceiro nível é a partícula que será descoberta após o méson. Depois desta, será descoberta a do segundo nível e, por último, a do primeiro nível.

Conforme a minha proposição, esta última é a partícula espiritual emitida pelo Supremo Deus, e também, a força que atualmente estou utilizando e manifestando milagres sem precedentes, conhecida também como Poder Kannon. Logo, esta manifesta um poder que elimina as nuvens espirituais dezenas ou centenas de vezes maior do que o apresentado pela Medicina atual. É por esse motivo que tenho me referido sempre que o nosso tratamento é a Medicina do Século XXI. Conseqüentemente, é grande a minha satisfação em relação à recente descoberta do méson, pois isso significa que a Ciência Teórica alcançou finalmente o nível de descobrir o méson.

A respeito disso, até hoje, foi sempre considerado difícil obter a união entre a Religião e a Ciência. Por isso, é uma realidade indiscutível que ambas as partes vieram sempre se criticando mutuamente. Obviamente, isto acontece porque existe uma lacuna entre elas e não conseguem encontrar um ponto comum. A sua causa, como já disse anteriormente, se assemelha, obviamente, ao fato da Ciência não ter alcançado ainda o progresso até o nível de descobrir as partículas espirituais. Da mesma forma, na Religião, também, devido à prematuridade do tempo, não houve a manifestação do supremo Poder Divino.

Gostaria de falar aqui sobre a realidade em que o méson existente nos raios cósmicos foi comprovado através do registro fotográfico. Conforme já expliquei sobre os raios cósmicos na Coletânea ―Assuntos sobre Fé‖, os raios cósmicos são os elos espirituais que partem de inúmeros corpos celestes e que, exercendo uma força de atração sobre o Globo Terrestre, envia-lhe normalmente o nutriente, que nada mais é do que sua energia vital.

O Dr. Yukawa também diz na sua descoberta que o méson é uma energia; portanto, é óbvio encontrá-lo em abundância nos raios cósmicos, e a força que torna pleno o méson não é senão a radioatividade das partículas espirituais divinas.

Às vezes, as pessoas indagam-me: ―Por que o senhor não apresenta a medicina que descobriu, já que ela é digna de prêmio Nobel?‖ Então, respondo-lhes que é impossível devido ao nível de formação acadêmica dos juízes que presidem o prêmio Nobel e se fundamentam na Medicina atual. No futuro, quando chegar a época em que tiver alcançado um grande progresso, acho que a minha teoria será compreendida; portanto, não há outra alternativa senão esperar pela chegada dessa época, e dou as minhas gargalhadas.

Jornal Hikari no 38, 3 de dezembro de 1949

Nota: 4 Reiki: rei = espírito; ki = ar, sopro, respiração, vento, essência vital

O macrocosmos (aquele que enxergamos) é reflexo do arranjo das partículas macroscópicas (ex.: um corpo sólido é aquele que tem suas moléculas altamente adensadas). Da mesma forma, o microcosmos (aquele formado de partículas microscópicas) é reflexo do mundo espiritual (ou imaterial). Da mesma forma em que somos circundados pelo ar (elemento do microcosmos), o microcosmos é circundado pelo reiki. Ou seja, o reiki é um corpo fluido altamente rarefeito (naturalmente mais rarefeito do que o ar) composto primariamente pelo elemento fogo que circunda o micro e macrocosmos.

Sendo o reiki composto pelo elemento fogo, é fácil perceber quão rarefeito é esse estado, uma vez que o fogo não pertence ao microcosmos, pois ele trata-se apenas de uma energia térmica / luminosa, ou seja, não possui molécula, embora sua força seja percebida nos três mundos.

Segundo Feynman, ainda não sabemos que energia é essa; no entanto, sabemos que ela está presente em tudo.

Quando Mestre Okada afirma ter descoberto o reiki, Ele não está se referindo meramente à técnica de canalização da energia desse elemento (um elemento que, para melhor entendimento, pode ser comparado à eletricidade). O reiki divulgado pelo Dr. Mikao Ussui a partir dos textos budistas é apenas a forma de se ligar e passar a canalizar a energia desse elemento (semelhante à ligação de um fio elétrico no poste de luz, gerando uma corrente elétrica, a qual é produzida pelo deslocamento de elétrons através de um condutor). Dessa forma, a eletricidade seria o reiki explicado por Okada, e o modo de se iniciar a corrente elétrica e passar a utilizá-la seria o reiki divulgado pelo Dr. Mikao Ussui.

6 O ar, por se tratar de um corpo material, tem como o seu elemento básico a água, que pode ser representada pela umidade, que consiste em vapor de água, e representa o microcosmos (detectado por aparelhos). Embora, desde a Antigüidade, sejam considerados 5 os elementos básicos do mundo (éter, fogo, água, ar e terra), Meishu Sama diz que são 3: fogo, água e terra, onde o éter, que seria o reiki , é formado pelo fogo, e o ar pela água.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário